Somos o lar. Somos casamor.

Umas das coisas que mais me encanta ao entrar numa casa é perceber os objetos que contam histórias. Um quadro comprado em um simples passeio de domingo depois de um almoço em família, uma jarra de flores que pertenceu a sua vó, uma toalha manchada de amora…
São essas coisas que, pra mim, diferenciam uma casa de um lar. Uma casa é somente um teto apoiado com paredes duras e sem cor. Um lar tem passado, presente e futuro.
O que mais vejo na minha profissão são pessoas em busca projetos de casas e interiores estilo “fast food”, onde o preço é melhor, é rápido e geralmente o cliente pensa que está satisfeito.
Não estou dialogando contra as grandes redes de modulados (que me soam levemente impessoais) ou profissionais que trabalham nesse estilo. Mas acho que vale pensar se a sua ideia é uma casa pra receber o seu sono nos dias de semana e amigos no final delas ou se você quer um lar pra abrigar os seus sonhos e acolher seus amigos.
Tudo isso pode parecer um pouco filosófico e distante da nossa realidade quando colocamos os pés no chão e percebemos a correria da rotina querendo nos atropelar. Mas no meu humilde entendimento o conceito de casa e lar não deveriam se separar. Precisamos da estrutura dura e seca pra nos protegermos fisicamente do que está do lado de fora dela, e necessitamos igualmente do aconchego das histórias que as paredes em harmonia com os objetos e móveis nos recebem dia após dia.
Um grande arquiteto chamado Louis Kahn uma vez disse que na natureza do espaço estão o espírito e a
vontade de existir de certa maneira. Uma definição bem comum onde a arquitetura se apresenta como um espaço vazio que adquire sentido quando preenchido e destinado a exercer uma função. E o homem
recebe essa função ao habitar esse espaço, ao preenchê-lo. Ou seja, a forma se materializa aguardando que se cumpra sua função concluindo que habitar o espaço é realizar o ser da arquitetura. A espaço ganha sentido, vida, passado, presente e futuro ao habitarmos e nos relacionarmos com ele.
Um arquiteto tem a função de mostrar a melhor maneira de dispor o que você necessita naquele ambiente traduzindo materialmente as suas ideias e características para aquele espaço. A intenção é que o que foi projetado conte sobre você. Por isso, é importante pesquisar o profissional que vá se aproximar melhor do que você procura pra concretizar sua essência.
Deixo vocês com um pouco de aconchego e inspirações sobre casas, seus objetos e suas histórias.

Por ♡ Taia Mendes


Virei poesia.

Tem tanta coisa linda que, felizmente, aparecem na tela do computador quando por alguma razão você só está navegando. Esses acontecimentos frutos do acaso sempre despertam um pouco mais a minha curiosidade e me levam a me aprofundar um pouco mais nesses fatos isolados.
O poeme-se surgiu assim pra mim. Eu estava procurando umas fotos pra montar um painel no meu quarto e dei de cara com esses lindos registros que são maravilhosamente completados por lindas frases.Um projeto desses que faz a gente suspirar. E tem mais, eles possuem uma lojinha que você pode adquirir essas belezuras pra enfeitar suas paredes.

“Só o acaso pode ser interpretado como uma mensagem. Aquilo que acontece por necessidade, aquilo que é esperado e que se repete todos os dias, não é senão uma coisa muda. Somente o acaso tem voz. Tentamos interpretar o acaso como as ciganas lêem no fundo de uma xícara o desenho deixado pela borra do café.”
Milan Kundera - A insustentável leveza do ser.

Por ♡ Taia Mendes


Tá na parede da cozinha.

Na semana passada eu estava olhando umas fotos antigas e o cheiro daqueles dias surgiram junto com as lembranças. Me dediquei por pelo menos umas duas horas a essa brincadeira e a minha mente me levou a buscar memórias de primeiras vezes. Que coisa boa é voltar naquele dia e poder saboreá-lo como se fosse a primeira vez.
Recentemente essa sensação inundou minha mente e coração quando entrei na casa de dois queridos amigos e pude ver alguns (muitos!) anos de estudo e madrugadas perdidas de sono se materializando em um lindo lar para o começo de uma vida nova.
Julia e Cherene (vulgo Rafael) me deram a oportunidade de projetar ambientes cheios de amor pra fazer parte da nova rotina de casados deles.
Umas das partes que eu mais gosto antes de iniciar um estudo de um novo projeto é saber sobre as pessoas que vão usufruir dele, sobre a rotina e tudo mais. Esse projeto em especial teve, além de tudo, um casal muito querido como destino final.
Ju e Che, desejo lindas manhãs de domingo cheias de sorrisos largos enfeitando a rotina de vocês. Que essa casinha possa ser o abrigo pros sonhos e pros amigos (claro!).
Deixo vocês com uma prévia de fotos que fiz com a parceria da linda loja capim limão pra enfeitar o resto da semana.
Por ♡ Taia Mendes

Using Format