Casa com trilha sonora.

A música sempre esteve presente na minha vida. Lembro de estar sentada na sala arrumando os cds antigos com a minha mãe e quando eu não conhecia ela botava pra tocar me apresentando um mundo novo de melodias. Hoje é maravilhoso acessar essas memórias em momentos inusitados quando escuto o som daquele dia. Assim, fui me encontrando nos meus gostos e a minha sintonia. A trilha sonora da minha vida é um caminho pra eu me achar quando me perco de mim na correria do dia-a-dia.
Sexta tive a alegria de estar em mais um sarau. Pra quem não sabe, um sarau é um evento cultural realizado geralmente em casa particular onde as pessoas se encontram pra se expressarem ou se manifestarem artisticamente. E na sexta foi no Clac, que não é casa de ninguém mas é casa nossa também. O espaço é tão bonito e aconchegante que você se sente em casa e não tem vontade de ir embora. O sarau acontece todo mês em uma sexta-feria especial. A boa é curtir a fanpage e ficar ligado pra não perder o próximo. O sarau do Clac tem sempre uma banda que abre e depois o espaço fica aberto pra quem quiser mostrar a sua arte. Pra acompanhar o friozinho e o um delicioso vinho só um jazz cairia perfeitamente bem e sexta não foi nada diferente disso. Lis Vanelle e seus Jazz Boys abriram lindamente cantando Nina Simone, Esperanza Spalding e por aí vai.
Um lugar que une amor e música não podia ficar de fora da minha lista de lugares preferidos. O espaço abriga um conversa linda entre os elementos decorativos e a estrutura existente da casa. A iluminação, os azulejos hidráulicos e a cor amarela da fachada configuram um delicioso convite a música e arte.

As fotos ficaram por conta de um iphone de um grande amigo que me salvou na falta do cartão de memória da máquina (é, eu esqueci). Espero que eu tenha conseguido registrar um pouco do que foi o evento. E pra embalar dá um play aqui nessa playlist delícia.


Amor de domingo.

Há algum tempo atrás escrevi um texto sobre ser domingo e a deliciosa energia que envolve esse dia de preguiça. A minha inspiração foi o meu par, que construiu comigo uma maneira maravilhosa de aproveitar o último dia de descanso que já é o primeiro. Assim, o domingo virou oficialmente o nosso dia. Um dia inclusive que sentimos saudade dele quando por alguma razão nós não mergulhamos no azul acinzentado desse dia.
Ultimamente temos aproveitado muitos domingos, quartas-domingo, terças-domingo… no cantinho dele. É, porque quando não temos o nosso domingo, fazemos ele existir no meio da semana mesmo.
O Rafael é músico e bastante dele e da profissão moram na casa com ele. Uma das coisas que mais presto atenção quando gosto de um lugar é isso, a maneira que cada elemento compõe o ambiente porque traduz o olhar de cada um e o sentimento colocado na organização e arrumação daquele espaço. É encantador descobrir a história dos objetos, móveis e a maneira que eles vão chegando, tomando o seu lugar e adicionando vida. E na casa do Rafael tem noite de música que vira história, história que vira música e é muito gostoso contribuir um pouquinho com os pedaços que ficam na memória. O sei de cor é uma ótima dica pra colocar um pouco mais de você no seu espaço. No nosso caso, enquadramos nossa música pra dar bom dia e boa noite pra ela todo dia.
É claro que existe todo um romantismo no meu olhar quando chego lá mas a Taia namorada também quer ser arquiteta e essa observação crítica é fundamental para o crescimento profissional.

Aí, fica por aqui o nosso domingo…


Meu cantinho.

Pra começar a falar de amor e falar de casa achei que nada seria mais obvio do que falar da minha casa. A minha casa é bem conhecida pelos meus grandes amigos porque uma das coisas que mais amamos fazer é recebe-los. As reuniões sempre são movidas a músicas e cardápios inovadores que vão de comida indiana a churrasco com carne e vegetais para os vegetarianos.E foi assim que fomos organizando e decorando o nosso cantinho.
Moramos eu e mamãe por agora e apesar de estudante de arquitetura a Dona Marcia é a grande responsável pelo aconchego do lar e as inovações elogiadas por quem visita. O nosso lema é acolher e organizar. Adoramos receber pessoas, cozinhar e mostrar um pouco de nós através do nosso lar.
No meu cantinho (o meu quarto mesmo) já aconteceram inúmeras mudanças de acordo com as fases da minha vida. Já dividi o quarto com a minha irmã e com a minha prima e nessa época nós adaptamos para nós três. Fora as mudanças de estilo e por aí vai. Mas hoje ele tem bastante de mim e está tomando forma ainda. Tudo muito improvisado mas com gostinho de tarde de domingo.

Separei umas fotos que vão ilustrar melhor o meu mundo pra vocês.

Using Format